pequenos detalhes que fazem toda a diferença.

  1. Saber começar pequeno.
  2. E levar o que se começa até ao fim.

São dois desses “pequenos” detalhes.

Um dos maiores pesos que carregamos é a infinitude de pequenos projectos e ideias que começámosmas ainda estão por acabar:

  • A pilha de livros que ficou para acabar um dia.
  • Os cursos que estão por fazer, quando for a altura certa.
  • O telefonema que disse que faria – mas ainda não me apeteceu…

Hoje em dia uma das minhas grandes alavancas é saber que quando começo algo vou até ao fim.

Ter esta consciência permite-me não só confiar em mim mesmo como saber de antemão se o sim que estou a dar é real…

Ou se estou inconscientemente a adicionar lastro ao alforge da culpa!

Tudo depende do nível de compromisso que sinto em mim no instante da decisão.

A diferença entre viveres com leveza e disponibilidade interior para o que queres criar

Ou estares constantemente a correr atrás da próxima tarefa é saberes comprometer-te com consciência:

  • “Vou fazer mesmo isto?”
  • “No tempo e prazo que me estou a propor?”
  • “Ou estou a dizer que sim por dizer?”

O referencial de compromisso que a maior parte de nós desenvolveu durante o nosso processo de educação é muito baixo.

Porque enquanto crianças não é fácil perceber quando um sim é mesmo um sim – ou um sim é na verdade um não.

Quantas vezes ouviste um…

  • “Sim, vou dar-te o que queres… mas depois.”

… e o depois nunca chegou?

(Ou enquanto pai ou mãe fizeste o mesmo?)

Uma das primeiras etapas para viveres de propósito é desenvolveres um novo referencial interno para o compromisso.

Porque se não estás a conseguir dar seguimento a tudo aquilo a que te propões…

O mais provável é que o referencial de compromisso que te foi ensinado não serve.

  • “Por onde começo?”

Começa por desenvolver o novo referencial interno de compromisso que te permite distinguir quando estás a decidir a partir de um espaço de integridade ou de necessidade de aprovação.

Um bom exercício é comprometeres-te com 5 minutos diários de uma tarefa específica durante 21 dias seguidos, e criares um diário sobre os teus estados internos:

  • Exercício físico.
  • Meditação.
  • Escrita criativa.
  • Ou qualquer outra que se adapte ao teu momento actual.

Vais desenvolver consciência sobre os diálogos automáticos que te vão desviar do caminho. E compreender através da experiência real que apesar de todos eles há uma nova possibilidade de compromisso e foco dentro de ti.

Este é um pequeno começo que quando integrado te vai permitir ter a certeza de que o que dizes… acontece!

Até já***
João Diogo

Recebe os Artigos por Email…

Subscrever
Subscrever